quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Desilusão

Vim aqui depois fui lá.
Fui lá e depois vim cá.
E nessa brincadeira me perdi de lá para cá.
Num momento de solidão me peguei a pensar.
Quantas horas caminhei procurando palavras,
palavras que te digam tudo , nada e de quebra ainda consigam te ninar.

Lonjura

Seria simples se soubessemos sempre?
Seria sem graça ,
seria saudade de não saber .
Volta Maria , volta .
Estava muito bom estar com você .
Volta logo para gente se ver .
Volta meu amor ,
não há tempo nem espaço .
Quando ?
Onde ?
Não deixemos nos perder...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Mata-me de vergonha Aníbal.

Seja lá o que for vai sair de mim.
Inpossível controlar o desejo ,
me sinto uma criança querendo ir na roda de novo ,
de novo
e
de novo.
Já me sinto quase saciado
estando na reta final de
mais um verso
desbocado.

domingo, 11 de janeiro de 2009

sábado, 3 de janeiro de 2009

Parabéns para mim .

Oi Jujuca!Obrigado pela lembrança baixinha , muitas saudades de vc . Um ano fodarasso profissional e socialmente.Te cuida que a o bixo tá pegando fogo!!Reza minha filha , reza ... esse ano tem Obama , essa tecnologia cada vez deixando o mundo mais rápido , a música tá mudando , as drogas estão mudando , esses pequenos trocos da natureza na cara da gente . As coisas estão tomando um rumo muito estranho . Ou vamos explodir e talvez tenha uma intervenção divina mesmo pra colocar ordem e progresso nessa gente . Deus é brasileiro , é malandro e vive na lapa . O casaco já está na sacola mágica do gato Félix que está tatuado em você , mas os abraços apertados amassaram ele todinho . Ah , desculpa mas me empolguei com a idéia de postar esse scrap no meu blog . Posso colocar um link direto com minha página de recados? Só alguns irão ver mesmo Ju , quem manda somos nós . Bjks enormes para vc tb!!!
http://www.orkut.com.br/Main#Scrapbook.aspx?rl=ms

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Nana Nostalgia

Nostalgia.s. f.,
melancolia, abatimento profundo de tristeza, causado pelas saudades.
Esse era o sobrenome de Nana.
Nana Nostalgia , uma mulher forçada a ser quem era .
Nostálgica por Intitulação.
Do alto de seus 29 anos andava pelas ruas do centro da cidade em busca de mais de seu próprio veneno .
Era uma obsessão , vivia seu dia-a-dia atrás de seu passado . Tentando esbarrar com alguém conhecido para reviver as emoções que outrora em seu peito ardiam.
O cheiro das coisas e dos ambientes , as formas , as cores .
Alimenta-se de lembranças por não ter conquistado mais medalhas e esperanças.

Tricolor(Suas cores prediletas)

De verde nos CONHECEMOS , de amarelo virou o ano e de vermelho você estava quando nos SEPARAMOS .

Delirium Tremes

Estou ancioso e com sono . Confuso , sem companhia , surdo e mudo .
Minha terapeuta me deixou , não conseguiu me aturar .
Foi embora derepente , despertei e ela sumiu do lugar .

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Psicografia bohemia III

Um baralho que já foi dado , mais uma banana na penca.
Uma em cima e outra embaixo.
Cerveja e certeza.
Será que eu me encaixo?!!
[borbulhas borbulhas!!!]
Vou pagar minha conta e meu rumo tomar ,
encontar meus amigos ...
Porra !!! Só quero mijar !!!

Vamos editar o mundo .

Falta pouco pra outro ano começar
Gastei cinquênta reais e os falsos
não aguento mais .
Fico querendo botar banca pra vender nem sei o que .
Estou mudando de vícios , deixando de lado velhos costumes para não te perder.
Seja Bem-Vinda!!
Mais um dia sem você .
A dor do parto é grande , me sinto uma gestante com um filho a carregar .
Outra gota caiu em mim , o lixo , o lixeiro já vem buscar .
Já parou pra pensar o quanto insistimos em nos enganar?

psicografia bohemia II

A noite vai chegando , estou num bar em frente ao hospital Pedro Hernesto.
Será que alguém está morrendo?
Desculpem-me mas busco ser honesto.
Em meio a tantos pensamentos é o que penso.
Sendo poeta será que tanto quanto a um médico eu presto?